sábado, 11 de agosto de 2012

Os Peles Vermelhas - Todos os Números

Capa do Volume 1 da Colecção
Hans Kresse nasceu em Amesterdão, no ano de 1921, e faleceu ao fim de 71 anos. Não foi um artista muito profícuo, mas deixou algumas boas obras como este “Peles Vermelhas”. Bastante influenciado por Harold Foster, começou a sua actividade na Banda Desenhada com 17 anos num jornal holandês, desenhando “Tarzan”. A partir daqui andou saltando entre a Holanda e a Bélgica, altura em que criou Matho Tonga. Este herói ia ser o seu pontapé de saída para um “Western” muito mais completo: Os Peles Vermelhas!
Esta série foi editada originalmente pela Casterman entre 1974 e 1982, senda a sua versão em português editada pela Difusão Verbo (1977 – 1983). Em 1977 ganhou no maior festival de BD no mundo, Angoulême, o prémio de “Melhor Álbum Estrangeiro” com o seu primeiro número desta série: Les Maîtres du Tonnerre. Kresse localizou-se geograficamente na zona que é agora a fronteira entre os EUA e o México, e temporalmente em meados do século XVI. Foi nesta altura que os espanhóis de Coronado (1540 – 1541) e Chamuscado (1580 – 1582) fizeram as suas incursões a norte do México para procurar mais ouro, e em busca de mais escravos. Assim tomaram contacto com os Apaches das tribos Faraondes, Chipiwis e Tóguas.

A acção roda à volta do grande chefe Faraonde (Chaka), do seu filho Anua e do grande guerreiro e protector deste, o "Caçador de Panteras" Kresse coloca vários factos históricos na sua estória, para dar alguns pontos de apoio à narrativa. A estória retrata a vida e os costumes das tribos daquela zona, assim como as suas alianças e inimizades de estimação, isto para além dos seus primeiros contactos com os “homens barbudos” (espanhóis), armas de fogo e um animal de extrema importância no seu futuro: o cavalo! A narrativa faz-nos passar pelos olhos, todas as tradições, problemas, honra e morte dos Índios principalmente na pessoa de Anua, o filho do chefe. A estória não é mais do que a passagem deste jovem Faraonde ao estado adulto, tudo o que se passa ao seu redor enriquece a estória. É claro que praticamente tudo o que é negativo vem dos “brancos”, mestiços e Índios que contactaram amistosamente com estes… traição, vergonha, “febre do ouro” são atributos que não ficam bem aos índios, pois aqueles que não se mostrassem dignos eram expulsos.

A estória tem um final aberto, mas que nunca será fechado… uma vez que Hans Kresse já não se encontra entre nós e não deixou substitutos. A arte, para as condições da época em que esta série foi escrita, desenhada e pintada, está muito boa, e para quem gosta de “westerns” sem “cowboys” esta série é imperdível!

Nota: Retirado do blog Leituras de BD


Lista de Livros Publicados

Notas
Para fazer o download de uma das revistas abaixo em formato CBR/CBZ/PDF basta clicar no link que se encontra por baixo da respetiva capa. Para mais informações sobre como abrir ficheiros com este formato, siga este link.


01 - Os senhores do trovão
02 - Os herdeiros do vento
03 - Companheiros do mal
04 - O apelo dos coiotes
05 - As flechas da vingança
06 - O ouro das montanhas
07 - Os caçadores de abutres
08 - O preço da liberdade
09 - A honra do guerreiro

2 Comentários :

  1. Esta série é mesmo muito boa. Eu tenho uns em inglês, outros em francês e serei "cliente" para todos os que aparecerem em português. esperando
    portanto. Um abraço.
    javal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi JAVAL! Vamos ver se aparecem mais...:)
      Gd abco,
      Gizmo

      PS: Já agora será que me podias por favor enviar as versões que tens em Inglês e Francês?

      Eliminar

Olá! Se gostaste do post deixa um pequeno incentivo...não custa nada :)

Se tiveres alguma Banda Desenhada/Quadrinhos, Scanner e algum tempo disponível, vê como nos podes ajudar >AQUI<.

Grande abraço e obrigado pela visita!
Giz